mudando-rotina_stress

Alimentação combatendo o estresse

Por Tainá Carvalho

Com o estilo de vida moderno constantemente estamos expostos as fatores causadores de estresse. Alguns estudos indicam que quando há exposição excessiva à mecanismos de estresse, alguns sintomas físicos e/ou mentais podem ocorrer. Alguns destes sintomas que ocorrem a curto prazo são enxaqueca, dores abdominais, constipação, síndrome do pânico e palpitações. A longo prazo o estresse está relacionado com obesidade, ansiedade, insônia, hipertensão, doenças cardiovasculares e envelhecimento precoce.

Quando o nosso organismo está em desequilíbrio, existe a maior produção de toxinas conhecidas como radicais livres, que são moléculas altamente instáveis, capazes de modificar a estrutura de outras células e do DNA. A poluição, cigarro, exposição excessiva aos raios solares, consumo excessivo de açúcares, sal e alimentos ultraprocessados, e sedentarismo, são exemplos de fatores que influenciam na produção dos radicais livres.

Em condições normais, nosso organismo é capaz de combater a ação nociva dos radicais livres. Quando há produção excessiva destas toxinas, e nosso organismo não apresenta as defesas que apresentam a ação antioxidante, ocorre o estresse oxidativo, e estes toxinas passam a exercer uma função prejudicial, contribuindo para desencadear os sintomas acima.

Alguns alimentos apresentam em sua composição nutrientes capazes de exercer a função antioxidante, dentre eles podemos citar:

  • Vitamina C: Frutas crítricas, brócolis, repolho, couve Gratin de brócolis e Bruschettas

  • Vitamina E, Zinco e Selênio: Sementes oleaginosas (castanhas e nozes)

10371136254_738afe9f75_z

  • 14528619259_d5ec6133ed_zVitaminas do complexo B: Cereais integrais e carnes

  • Flavonóides: Frutas vermelhas, suco de uva, alho, chocolate amargo

    3785979580_fd97ae2809_z

Incluir estes alimentos diariamente podem ajudar a combater o estresse oxidativo e prevenir alguns dos sintomas do estresse.