Mudando sua alimentação

Agrotóxicos nos alimentos: por que é melhor evitar?

maio 23, 2019

O uso de agrotóxicos nos alimentos é uma prática cada vez mais comum no Brasil. Só este ano, já foram 150 liberações, somadas a outras 106 em 2017, mais 74 em 2017.

Esses eventos têm provocado discussões constantes em diversos setores da sociedade — da bancada ruralista do governo atual até as cozinhas de restaurantes engajados com a causa do meio ambiente, até mesmo porque isso afeta diretamente a qualidade dos ingredientes.

E você, tem se informado a respeito? Considerando que todas essas substâncias podem acabar no seu prato, é bom entender o porquê de tanta polêmica. Foi pensando nisso que preparamos esse conteúdo. Esperamos que, depois dessa leitura, você consiga fazer escolhas melhores com relação à sua alimentação e ao resto do mundo. Vamos lá?

O que são agrotóxicos, afinal?

Qualquer substância que sirva pra prevenir, destruir, controlar ou inibir pragas indesejáveis é chamada de agrotóxico. Ou de defensivos agrícolas, agroquímicos, praguicida, biocidas, pesticidas e, mais recentemente, de produtos fitossanitários.

Eles podem ser classificados segundo a praga específica combatida, como, por exemplo, os herbicidas, inseticidas ou fungicidas, que servem pra eliminar ervas daninhas, insetos e fungos, respectivamente.

Apesar de oferecerem esse benefício, seu uso indevido pode trazer consequências como a mudança na aparência, no sabor e na composição dos alimentos, além de impactos no meio ambiente e na saúde — de quem consome e, principalmente, dos agricultores que têm contato direto ao fazer a aplicação. Inclusive, existe uma segunda classificação desses produtos que está relacionada à sua toxicidade, indo do pouco tóxico ao extremamente tóxico.

Por esse motivo, muitas pessoas buscam alternativas mais saudáveis, como é o caso dos alimentos orgânicos, que ofereçam maior qualidade de vida.

Que tal conhecer as vantagens de não consumir produtos com alto teor de agrotóxicos?

Vantagens para a sociedade

Você sabia que a sustentabilidade está ligada não só ao meio ambiente natural, mas também ao desenvolvimento social e econômico? Em nenhuma dessas esferas, o uso de agrotóxicos é uma opção sustentável. Veja, por exemplo, quais são as vantagens socioeconômicas em não utilizá-los.

Incentivo aos produtores locais

As grandes empresas do agronegócio são campeãs no uso de substâncias químicas pra garantir a produção em larga escala.

A redução gradativa do consumo de alimentos com agrotóxicos leva, consequentemente, à busca por alternativas. Ao escolher consumir produtos livres de agrotóxicos, os pequenos produtores e a agricultura familiar passam a ser excelentes soluções.

Priorizar alimentos de produção local é uma forma muito positiva de incentivar a economia sustentável. Afinal, ela aumenta a demanda e o faturamento desses trabalhadores, que têm gastos com insumos, equipamentos e tecnologias difíceis de bancar. Investir no resultado desse trabalho traz impactos na dinâmica social da sua região.

Contribuição às comunidades rurais

A busca por possibilidades que dão mais espaço aos pequenos agricultores acaba contribuindo com as comunidades rurais. Os núcleos familiares que trabalham com agricultura orgânica longe das cidades são fortemente beneficiados. Há estímulo à geração de empregos e aumento de renda da população rural, por exemplo.

O Brasil já se destaca na produção de alimentos por pequenas comunidades rurais. O que poucos sabem é a importância desse setor para a economia. De acordo com informações do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), a agricultura familiar responde a 70% dos alimentos consumidos no Brasil.

Vantagens para o meio ambiente

Além do forte estímulo à produção local e orgânica de alimentos, apostar em um consumo livre de agrotóxicos nos alimentos é benéfico ao meio ambiente. Olha só como a decisão de priorizar produtos sem substâncias químicas favorece a preservação da natureza e a manutenção do ecossistema.

Contribuição para um solo mais saudável

O uso de pesticidas e herbicidas em altas quantidades não afeta somente as espécies vegetais às quais o produto é direcionado. As substâncias químicas escorrem para o solo e podem prejudicar a sua composição. Com o tempo, o local pode sofrer erosão, que gera um desequilíbrio de acidez e diminui a fertilidade do solo.

Dessa forma, evitar os agrotóxicos nos alimentos é, também, uma forma de preservar a saúde do solo. No longo prazo, isso significa menos impactos ambientais negativos e mais rentabilidade. Até porque um terreno bem cuidado e fértil pode ser usado pra fins agrícolas por muito mais tempo.

Manutenção do ecossistema

Outro problema dos agrotóxicos nos alimentos é que, após escorrerem para o solo, eles podem contaminar o lençol freático e chegar aos chamados corpos hídricos habitados, que são rios e lagos povoados por seres vivos. Assim, as espécies vegetais, aquáticas e animais saem prejudicadas, e, nos casos mais graves, podem desaparecer.

agricultura familiar se utiliza de meios naturais para o controle de pestes e ervas daninhas. A capina manual de plantas indesejadas e o combate biológico de pragas , que usa predadores naturais dos insetos invasores, são alguns exemplos desse tipo de recurso. Tudo isso contribui com a manutenção do ecossistema local.

Redução da poluição

Por fim, a substituição dos agrotóxicos nos alimentos por alternativas sustentáveis ajuda a reduzir a poluição, tanto no que se refere ao solo e aos corpos hídricos, como a gente já explicou, quanto ao ar, já que alguns elementos presentes nos produtos demoram muito tempo pra evaporar na atmosfera.

A poluição do ar, do solo e das águas é uma questão séria e qualquer redução é bem-vinda. Não é à toa que as agendas mundiais de sustentabilidade sempre estipulam metas de diminuição nos níveis de poluição. Por isso, dar prioridade a alimentos produzidos sem o uso de agrotóxicos é uma forma de ajudar, indiretamente, até mesmo nessa esfera.

Vantagens para você

Por fim, o consumo de alimentos livres de agrotóxicos é extremamente benéfico pra sua saúde. Além de reduzir o risco de desenvolvimento de alergias e outros problemas mais graves, os produtos orgânicos são mais nutritivos e saborosos. Duvida? Então vem ver!

Sabor diferenciado dos alimentos

Qualquer modificação na estrutura química dos alimentos tem interferência no seu sabor e aparência. Por isso, é natural que produtos que receberam agrotóxicos sejam um pouco diferentes. Isso vale para as cores, o gosto e a textura.

Mas não se engane: normalmente, os orgânicos são menos impressionantes que os demais. Até porque um dos objetivos secundários dos agrotóxicos nos alimentos é deixá-los mais convidativos para o consumidor. Então, é normal vê-los maiores, mais brilhantes e com cores mais vivas que os primeiros. Em contrapartida, o sabor e o aroma dos orgânicos são mais intensos e puros, já que refletem a natureza sem interferências.

Maior consumo de vitaminas e nutrientes

Uma pesquisa divulgada pelo British Journal of Nutrition, na Grã-Bretanha, trouxe dados interessantes. Uma das conclusões foi que os alimentos contêm mais antioxidantes quando são livres de agrotóxicos. Essas substâncias são essenciais pra proteger as células sadias do organismo da oxidação de radicais livres.

Outras funções são auxiliar na absorção de vitamina A e regular lipídios e proteínas. Desse modo, preferir a alimentação orgânica é contar com refeições mais nutritivas. Aliás, o estudo britânico sugere que substituir os produtos comuns pelos orgânicos equivale a ingerir de uma a duas porções a mais de vegetais e frutas todos os dias.

Viu só como é muito melhor evitar os agrotóxicos nos alimentos? As vantagens se refletem na sociedade, no meio ambiente e na sua qualidade de vida. Os produtos orgânicos são mais benéficos e não é difícil inclui-los no cardápio.

Nós mesmos, aqui na Liv Up, oferecemos opções saudáveis e rápidas, cheias de orgânicos que vêm de pequenos produtores parceiros. É só pesquisar, fazer seu pedido e dar o start em uma revolução que começa no seu prato.

 

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up