Benefícios de ter um animal de estimação em casa

beneficios de ter um animal de estimação em casa

Ter um animal de estimação muda a vida de muita gente. Seja simplesmente pela companhia ou pelas lições que essa relação de afeto ensina, a verdade é que o bichinho acaba virando praticamente um membro da família. Se você está pensando em adotar um amigo (de quatro patas ou não), confira a seguir as dicas para preparar a casa e as vantagens dessa atitude – inclusive para a sua saúde. 

Afinal, quais são os benefícios de ter animal de estimação em casa?

Além de serem lindos e bons companheiros, os animais fazem bem à saúde física e mental. Seja sua escolha um gatinho, cão, ou algo mais exótico, como um porquinho-da-índia ou iguana, saiba que há vantagens em ter todos eles por perto. Confira:

Ter um pet reduz o estresse

Você chega em casa depois de um dia caótico, mas esquece tudo isso depois de 5 minutos brincando com o seu animalzinho. Em suma, os bichos de estimação são excelentes companhias no combate ao estresse e não é apenas impressão sua.

Isso é o que diz um estudo feito pela Universidade Estadual de Nova York, nos EUA. Para chegar a esse resultado, a pesquisa testou os níveis de tensão de pessoas em quatro situações: sozinhas, com seu parceiro, com seu animal e com seu parceiro e o animal. A ocasião em que as pessoas atingiram um maior estado de tranquilidade foi apenas com o pet.

Faz bem pro coração

Não é um clichê: além do afeto, gatos, cães e outros animais de estimação contribuem para a saúde do coração dos tutores. De acordo com pesquisas dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e do Instituto Nacional de Saúde (NIH), nos Estados Unidos, a relação com os pets ajuda a reduzir o colesterol, o nível de triglicérides e pressão sanguínea. Assim, previnem ataques do coração e outros problemas cardiovasculares. 

Animal de estimação diminui a probabilidade de se desenvolver depressão

Acredite: quem tem animais em casa afasta a tristeza. De acordo com um estudo realizado por profissionais da Clínica Médico-Psiquiátrica da Ordem, em Porto (Portugal), o pet ajuda em tratamentos de depressão.

Além disso, a convivência com os bichinhos reduz a sensação de solidão, além da ansiedade. Ao estar em contato com eles, o ser humano produz mais hormônios com a ocitocina, a prolactina e a serotonina, que estão associadas ao humor e bem-estar.

Cães detectam doenças

Além de ser o melhor amigo do homem, os cachorros podem auxiliar na detecção de câncer em diversas regiões do corpo. O diagnóstico é realizado farejando o local doente. Aliás, os cães podem ser treinados para esse tipo de descoberta. A precisão é muito significativa: varia nas faixas de 80% e 90%. 

Além disso, os diabéticos também podem se beneficiar diretamente ao escolherem os cachorros como pet. Segundo estudos conduzido pela Universidade Belfast do Queens, na Irlanda, e pela Universidade de Lincoln, na Inglaterra, diabéticos ou outras pessoas com quedas bruscas de níveis de açúcar no sangue podem treinar seus cães para ajudar a evitar crises de hipoglicemia.

Isso porque, estes animais seriam capazes de detectar uma redução do índice glicêmico, ao sentir a liberação de feromônios por meio do suor. 

Gatos ajudam em doenças também

Boa notícia para os amantes dos bichanos: uma pesquisa da Universidade de Minnesota aponta que gatos atuam na prevenção de acidente vascular cerebral, infarto e outras doenças cardiovasculares. No estudo, os indivíduos que não criavam os bichanos tiveram risco 40% maior de morrer de ataque do coração.

Além disso, tinham aproximadamente 30% de chances à mais de perder a vida por uma doença cardiovascular, em relação aos donos de gatos. Apesar de a pesquisa não encontrar uma causa direta, os cientistas acreditam que o resultado está relacionado à capacidade dos gatos de relaxar e reduzir a ansiedade de seus criadores.

Como preparar a casa pra chegada de um animal de estimação?

É claro que, com grandes benefícios, vêm grandes responsabilidades. Primeiramente, vale ressaltar que todos os familiares devem estar de acordo com essa mudança. Afinal, os animais vivem muitos anos e precisarão de cuidados, atenção, carinho, alimentação, higiene e visitas ao veterinário. O que abrange investimento de tempo e dinheiro.

Além disso, a adoção responsável não envolve somente preparo psicológico. É fundamental adaptar o ambiente que vai abrigar o novo morador. Existem cuidados necessários para a segurança do bichinho e também para evitar estragos e prejuízos na residência. Confira algumas precauções essenciais:

Segurança em primeiro lugar

Quem mora em apartamento ou casas com mais de um andar, deve obrigatoriamente instalar redes de proteção em janelas, sacadas ou outros pontos de escape. Além disso, fique atento para não deixar objetos perigosos ao alcance dos animais.

Tenha um cantinho pro bicho

Em segundo lugar, é preciso eleger um cantinho para que o bicho descanse, coma e faça as suas necessidades. Esse processo pode exigir tempo e paciência, mas é um investimento a longo prazo. Uma vez acostumado, o pet passará a respeitar esse espaço. Considere também outros elementos do seu ambiente. Por exemplo, quem tem piso de madeira, precisará escolher uma área que possa ser lavada, como as lavanderias e áreas de serviço. 

Cuidando de móveis e afins

Para começar, investir na impermeabilização de sofás e poltronas pode salvar seus móveis. Além disso, existem protetores para evitar mordidas de cães e arranhões dos gatos, por exemplo. Dê preferência ao que for mais fácil de limpar. 

O convívio de crianças com um animal de estimação

Para quem está preocupado se a combinação de pet com crianças em casa é uma boa ideia, a ciência é totalmente a favor. Existem diversos benefícios para os pequenos em convívio com os bichinhos. Abaixo, elencamos alguns dos mais conhecidos:

Os pets ensinam lições de responsabilidade

Este é, sem dúvida, um excelente motivo para inserir as crianças no trato com os bichos de estimação. Afinal, eles exigem cuidados como alimentação, passeio e limpeza. Assim, as crianças aprendem a ser responsáveis não apenas com o bem-estar dos animais, mas desenvolvem empatia. 

Animal de estimação contribui para o desenvolvimento emocional 

Estudos indicam que esse vínculo melhora a autoestima dos pequenos. O que ajuda nas interações sociais, tanto com outras crianças quanto com os adultos. Aliás, o livro “As crianças precisam de animais de estimação” publicado pelo psicólogo infantil Dieter Krowatschek aponta que um animal pode ser o melhor aliado dos pais e dos educadores para estimular crianças e adolescentes a se relacionarem melhor. 

Faz bem para a saúde e imunidade das crianças

Há quem acredite que os animais possam desencadear alergias em crianças. Na verdade, o que acontece é o contrário. Quem convive com animal de estimação desenvolve um sistema imunológico mais forte. Isso porque uma maior exposição à sujeira e às bactérias ajuda no estímulo do organismo à imunidade. 

Um estudo feito na Alemanha, pelo Instituto de Epidemiologia de Munique, comprova essa afirmação. Na pesquisa, 3 mil crianças foram monitoradas até os 6 anos. Exames de sangue mostraram que os pequenos que conviviam com cachorro em casa apresentavam menos risco de desenvolver sensibilidade a pólen, pelos, poeira e outros agentes alergênicos do que crianças sem cães. Demais, né?

Se você gostou da postagem e tem interesse em conteúdos do tipo, veja nossa categoria com posts sobre bem-estar.

Você vai gostar de ver…

pessoa segurando garrafa de água e um copo com água

Saiba a quantidade de água por dia que você tem que beber

Água é essencial para a vida, da forma como a conhecemos. Para tanto, nosso organismo é composto de até 75% de água, o que faz surgir uma grande dúvida: qual

como curar ressaca com chá

Como curar ressaca: 10 maneiras de aliviar o mal-estar

Dor de cabeça, enjoo, tontura e estômago sensível, são sintomas comuns depois da ingestão exagerada de bebidas alcoólicas. Nesses dias, tudo o que a gente mais queria era uma receita

quantidade de água por dia

Saiba a quantidade de água por dia que você tem que beber

Água é essencial para a vida, da forma como a conhecemos. Para tanto, nosso organismo é composto de até 75% de água, o que faz surgir uma grande dúvida: qual

Permissão de cookies

Coletamos informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para melhorar o funcionamento das páginas, mensurar a audiência e oferecer uma melhor experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies.