Tudo sobre cafeína: onde encontrar, efeitos e como consumir

cafeína do café

Muita gente não vive sem ela, a cafeína. Este poderoso estimulante do nosso sistema nervoso central é bem conhecido pelo seu superpoder: nos deixar alerta. E engana-se quem acha que a substância é sinônimo apenas de café. Apesar de fazer parte da composição da bebida mais amada do brasileiro, ela se faz presente também em chás, suplementos, medicamentos e até mesmo no chocolate, sabia? 

Ah, e além da sensação revigorante ao bebermos o tradicional cafezinho, a cafeína apresenta diversos outros benefícios para a saúde, como ajudar a acelerar o metabolismo e combater o cansaço. Mas sem excessos – isso porque o exagero no seu consumo pode desencadear diversos problemas e, em casos extremos, até levar ao óbito. 

A seguir, te explicamos tudinho sobre a substância, quais os aspectos positivos para a saúde, quais as quantidades indicadas diariamente e as consequências do seu abuso.

O que é cafeína?

Do ponto de vista químico, essa molécula alcalóide é chamada de um nome bem diferente, 

1,3,7-trimetilxantina, e é representada pela fórmula molecular C8H10N4O2.

Já num português mais claro e acessível, estamos falando de um composto estimulante que recebe esse nome por ter sido identificado originalmente no café. Quando consumimos essa substância, ela é levada pela corrente sanguínea e transportada até o cérebro – onde atua como um psicoativo.

Aliás, ela é capaz de influenciar diversos fatores que muito provavelmente você já testemunhou durante o consumo: o humor, capacidade de raciocínio e o estado de alerta

Para que serve a cafeína?

cafeína

É considerada tanto um aditivo alimentar como uma droga. Sim, a cafeína é considerada a droga lícita mais consumida no mundo, estando presente em diversos medicamentos como antigripais e comprimidos para dor de cabeça, por exemplo, ou sendo vendida na forma de cafeína em cápsula. Ela ajuda no combate à sensação de cansaço, além de contribuir para uma melhor absorção e efeito de analgésicos. 

A seguir, listamos alguns dos benefícios da cafeína e usos mais comuns: 

Estimular a função cerebral 

A cafeína estimula a ação dos neurotransmissores no cérebro, afetando os receptores de adenosina (que tem um efeito contrário ao da adrenalina). Existem pesquisas que apontam que o seu consumo pode melhorar a habilidade de raciocínio e combater a perda de capacidade mental ligada ao envelhecimento. 

Combater o cansaço

Além desse poder estimulante, o café também contém propriedades antioxidantes benéficas. Sendo assim, pode ser usado para combater o cansaço físico e mental, além de atuar na prevenção de doenças. 

Impulsionar o desempenho físico 

Não é à toa que ela faz parte de diversos suplementos esportivos. Sua ação termogênica ajuda a potencializar o desempenho durante a prática de atividade física, podendo também reduzir a fadiga ao longo dos seus treinos. 

Dar uma força para o metabolismo  

Graças ainda à ação termogênica, a cafeína pode ser aliada do bom funcionamento do metabolismo. Assim, além de atuar no desempenho, ajuda a elevar a geração de calor nas células – o que resulta em queima de gordura. 

Quais os efeitos colaterais da cafeína?

Apesar dos vários pontos positivos, vale lembrar que a cafeína tem potencial viciante e algumas contra indicações. Ou seja, nada de exagerar na dose, caso contrário é possível ter efeitos colaterais como: 

  • Aumento do batimento cardíaco e palpitações;
  • Refluxo, sensação de ardência e distúrbios gastrointestinais;
  • Nervosismo, ansiedade e inquietação;
  • Espasmos musculares;
  • Pensamento e discurso descoordenado; 
  • Desidratação pelo efeito diurético; 
  • Insônia;
  • Dores de cabeça;
  • Aumento da pressão sanguínea;
  • Úlceras estomacais;

Em casos realmente muito extremos, o abuso da cafeína pode até mesmo levar a paradas cardiorrespiratórias, coma e a morte. 

Quanto de cafeína tem no café?

Depende do tipo de café consumido. O tradicional cafezinho passado fornece 40 mg da substância a cada 100ml, enquanto um espresso contém 212 mg nesta mesma porção. Vale lembrar que outros fatores influenciam na quantidade de cafeína presentes na bebida, como o tipo de grão, a torra, o tipo de café e, é claro, o tamanho da dose.

Em termos gerais, a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é consumir no máximo 400 miligramas de cafeína por dia

+ Café gelado para refrescar: 9 receitas de dar água na boca

Quais outras bebidas têm cafeína?

chá com cafeína

O alcalóide está presente em mais de 60 espécies vegetais, incluindo o cacau. Sendo assim, existem diversas outras bebidas cafeinadas, entre elas: 

  • Chá-verde: uma porção de 240ml contém, em média, 20 mg de cafeína. 
  • Chá-preto: uma porção de 240 ml contém, em média, 45 mg de cafeína. 
  • Chá-mate: uma porção de 240 ml contém, em média, de 27 a 35 mg de cafeína. 
  • Guaraná: uma porção de 3 a 15g pode conter até 550 mg de cafeína. 

Como cortar o efeito da cafeína?

Afinal, quanto tempo dura o efeito da cafeína? Existe alguma forma de reduzir seu efeito? 

Uma das principais dicas é caprichar na hidratação, assim você minimiza o efeito “desidratante” dessa substância. Praticar atividade física também ajuda o corpo a metabolizar a cafeína de forma mais rápida. Outro ponto é evitar o consumo de fibras, pois esses alimentos tendem a desacelerar a sua velocidade de absorção. 

Mas, uma vez que você já tenha consumido cafeína, o jeito é realmente esperar e evitar consumi-la pelas próximas horas. Isso porque o pico de efeito da substância acontece nas 5 horas seguintes à ingestão, e pode demorar até 40 horas para ser totalmente eliminada do corpo.

Referências

Você vai gostar de ver…

ultraprocessados

Alimentos ultraprocessados: como identificar e substituir

Vivemos em uma era em que os alimentos ultraprocessados são praticamente onipresentes. Em muitos casos, fica ainda mais difícil passar longe deles, pois existem industrializados com roupagem de “comida saudável”. 

fome emocional

Fome emocional: como mudar sua relação com a comida?

Sabe aquela história de comer por ansiedade ou descontar um dia estressante num docinho? Então, ela tem nome. A fome emocional, muitas vezes desencadeada por sentimentos, pode impactar nossos hábitos

receitas do tik tok viral

Viralizou: 10 receitas do Tik Tok pra testar em casa

No universo culinário das receitas do Tik Tok, a criatividade e a simplicidade andam de mãos dadas. Não é de hoje que nas redes sociais, especialmente no TikTok, chefs amadores

Permissão de cookies

Coletamos informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para melhorar o funcionamento das páginas, mensurar a audiência e oferecer uma melhor experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies.