Como fazer a transição para o vegetarianismo de forma saudável?

transição para o vegetarianismo

Você já pensou em diminuir ou restringir o consumo de alimentos de origem animal? Cada vez mais, a transição para o vegetarianismo tem sido a melhor escolha para quem busca por uma alimentação mais consciente e saudável.

De acordo com a pesquisa do IBOPE, o número de declarados vegetarianos no Brasil aumentou 75% de 2012 a 2018. Estima-se que 14% da população brasileira não consome alimentos de origem animal.

Os impactos das escolhas alimentares, a preocupação com saúde, a busca por longevidade e qualidade de vida, a não violência aos animais e os cuidados com o meio ambiente são alguns dos motivos que levam pessoas a mudarem os seus hábitos alimentares e aderirem ao vegetarianismo.

No entanto, cortar carne, leite e ovo da alimentação, de uma hora para a outra, não é uma prática recomendada. Pode, inclusive, até ser prejudicial à saúde. Por isso, busque orientação médica ou de um profissional da área da saúde nesse processo desafiador.

Mudanças de hábitos nem sempre são fáceis. Mas, se o seu objetivo for reduzir ou parar de consumir alimentos de origem animal, existem dicas que podem te ajudar. Confira neste post como fazer uma transição para o vegetarianismo de forma saudável. Acompanhe!

O que é vegetarianismo?

O vegetarianismo é uma dieta alimentar que restringe o consumo de todo e qualquer tipo de carne das refeições. Isso significa que vegetarianos não comem nem peixe, nem frango, nem porco ou qualquer outro tipo de carne animal.

A alimentação vegetariana é constituída de cereais, leguminosas, castanhas, legumes, frutas, sementes e verduras. Porém, existem algumas classificações que são mais ou menos restritas em relação ao consumo de produtos de origem animal.

Veja a seguir algumas vertentes do vegetarianismo:

  • ovolactovegetariano: alimentação que restringe consumo de carnes, no entanto, permite o consumo de ovos, leite e derivados.
  • lactovegetariano: dieta sem consumo de carne e ovos, mas permite o consumo de leite e derivados.
  • ovovegetariano: alimentação sem carne, leite e derivados, mas inclui ovos nas refeições.
  • vegetariano restrito: alimentação a base de vegetais, sem qualquer tipo de alimento de origem animal, como carnes, ovos, leites e derivados.
  • vegano: o veganismo vai além da alimentação, que segue os mesmos princípios do vegetarianismo restrito. No entanto, veganos seguem como estilo de vida a não violência aos animais. Isso significa que veganos não se alimentam e nem usam qualquer tipo de produto de origem animal. Isso inclui vestimentas, acessórios, produtos de higiene e cosméticos que envolvam qualquer tipo de crueldade animal.

Como fazer a transição para o vegetarianismo de forma saudável

Não há restrição para quem quer começar uma dieta vegetariana. Mulheres, grávidas, homens, atletas, crianças, idosos, qualquer pessoa pode sim se alimentar apenas de vegetais e ter uma vida saudável.

Também não há uma regra exata para quem quer ser vegetariano. Cada um tem sua história, motivo e lida com os desafios da mudança alimentar de um jeito diferente.

No entanto, assim como qualquer tipo de dieta, o ideal é ter acompanhamento de um médico ou nutricionista. Assim, deve-se realizar exames de rotina para checar se todos os nutrientes estão sendo supridos.

Uma dieta a base de vegetais, além de nutritiva pode prevenir doenças. Entre elas as cardíacas, câncer, diabetes e derrames. Ajuda, ainda, a evitar o envelhecimento precoce e melhorar a disposição e qualidade de vida.

De acordo com Marco Springmann, pesquisador no programa Future of Food, da Universidade de Oxford, se toda a população mundial adotasse uma dieta vegetariana, até 2050 teríamos uma redução de 6% a 10% no índice global de mortalidade.

Se você está pensando em começar uma transição para o vegetarianismo, veja abaixo algumas dicas.

1. Faça a substituição certa dos alimentos

Um dos maiores erros de quem adere ao vegetarianismo é substituir a proteína animal por carboidratos e gorduras, como batatas, massas e queijo.

Toda alimentação deve ser equilibrada, com a adequação nutricional e calórica de acordo com as necessidades de cada pessoa.

A proteína animal pode ser substituída por alimentos do grupo de feijões, como grão-de-bico, lentilha e ervilha, por exemplo. São alimentos com boas fontes de proteína, porém a refeição precisa ser balanceada e mista com outras fontes de proteína vegetal para que fique completa em todos os aminoácidos essenciais (que não produzimos). Além disso, por conter também carboidratos e fibras, não podemos “igualar” estes alimentos à carne, que é fonte basicamente de proteínas e gorduras.

2. Tenha consciência dos alimentos e vá aos poucos

Assim como em uma reeducação alimentar, a adaptação e os riscos de cair em recaídas são mais tranquilos quando a mudança é feita de forma gradativa e consciente.

Desta forma, para não sofrer com os impactos da mudança, comece reduzindo o consumo de carne aos poucos. Em suma, escolha alguns dias da semana para fazer a restrição e vá progredindo até retirar todo o consumo.

Aproveite esse período para incluir mais legumes, frutas, cereais e verduras em suas refeições. Assim, vá se adequando a novos sabores e experimentando novas receitas.

3. Busque informações e estude sobre a transição para o vegetarianismo

Toda mudança de padrão causa incomodo. Por isso, é comum ser bombardeado de perguntas e até mesmo encontrar pessoas queridas que desaprovem suas escolhas, simplesmente por não terem clareza sobre o assunto.

Nem todo mundo estará pronto para entender seus motivos e ok, está tudo bem! Respeitar as diferenças para ser respeitado é o primeiro passo da conscientização.

Você não precisa se afastar do seu convívio social ou mudar sua vida só porque decidiu parar de comer carne. Você precisa apenas estar informado, estudar sobre o assunto e buscar referências e evidências para que não influenciem seu pensamento. Assim, você pode também conscientizar quem está ao redor.

4. Crie uma rede de apoio

Procure por amigos, pessoas conhecidas, organizações e grupos em redes sociais com adeptos ao vegetarianismo. Troque informações, experiências e busque apoio.

No momento da transição é muito importante ter pessoas que pensam como você, seja para tirar dúvidas, incentivar ou mesmo desabafar sobre os desafios da mudança.

5. Evite industrializados e planeje sua alimentação

Por fim, tire um tempo para planejar sua alimentação. Prepare suas refeições, escolha os seus alimentos. É muito importante esse momento para ter consciência do que está ingerindo.

Assuma responsabilidade por suas escolhas, cuide da sua saúde, priorize sua qualidade de vida e bem-estar.

E caso não tenha tempo para cozinhar, não tem problema. Faça suas refeições em restaurantes que ofereçam alimentos saudáveis ou se preferir, compre comida natural congelada.

A Liv Up é uma empresa que preza pela alimentação saudável, natural e gostosa. Temos em nosso cardápio várias opções de refeições vegetarianas, receitas deliciosas e nutritivas, feitas com alimentos naturais e orgânicos.

A transição para o vegetarianismo pode parecer complicada, mas com receitas saborosas, alimentos certos, força de vontade, planejamento, pesquisa e todas as nossas dicas, o seu projeto será bem-sucedido.

E conte com a Liv Up para o que precisar! Conheça aqui nosso cardápio vegetariano.

Você vai gostar de ver…

déficit calórico dos alimentos

Déficit calórico: como funciona a fórmula das calorias

Quem quer emagrecer certamente já esbarrou por aí no conceito de déficit calórico, até porque é impossível perder peso sem ele. Entender essa relação entre as calorias ingeridas e as

refeição cardápio para o dia a dia

Cardápio para o dia a dia: 20 receitas pra experimentar

Quando o assunto é alimentação saudável, um dos grandes desafios é elaborar um cardápio para o dia a dia que reúna refeições práticas, mas também saborosas. Afinal de contas, a

iogurte saudável com frutas

Iogurte saudável: como escolher o melhor

Saboroso, versátil e bem equilibrado, o iogurte saudável é uma opção queridinha na hora de montar um cardápio bacana. Vai bem com frutas, com granola, em molhos para saladas e

Permissão de cookies

Coletamos informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para melhorar o funcionamento das páginas, mensurar a audiência e oferecer uma melhor experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies.