Cuscuz nordestino: aprenda a fazer o prato da Juliette

cuscuz nordestino

Nesse “Big dos Bigs” uma coisa era certa: todo dia era dia de discussão. E uma delas, protagonizada pelos participantes Juliette e Fiuk, teve como ponto central um alimento típico do nosso querido Nordeste, sim, o cuscuz nordestino. 

O cenário da briga foi a tão famosa “cozinha da xepa” e trouxe uma pauta muito importante para o nosso paladar brasileiro – como preparar o verdadeiro cuscuz nordestino? Viemos aqui te responder em detalhes. Bora?

O que é o cuscuz nordestino? 

É normal confundir o cuscuz nordestino com outras especialidades gastronômicas, afinal, algumas preparações levam um nome muito parecido. 

Temos, por exemplo, o couscous marroquino, uma iguaria árabe que foi trazida para o Brasil pelos africanos e se popularizou durante o período colonial. Feito com sêmola de trigo, é muito gostoso, versátil e super prático de preparar.

O couscous pode levar legumes, caldos, frutas secas e temperos especiais em sua receita, e é uma opção nutritiva pra variar o arroz de todo o dia.  

No Sudeste do país, também é possível experimentar o cuscuz paulista. Essa preparação é conhecida por ser um “bolo salgado” e leva em sua receita as farinhas de milho e de mandioca. Como recheios, esse tipo de cuscuz pode conter: sardinha, atum, camarão, cebola, tomate, ovo cozido, pimentão, azeitona, ervilha e temperos variados como azeite, salsinha, sal e pimenta-do-reino. 

E olha só, temos até o cuscuz doce. Também conhecido como cuscuz de tapioca, pudim de tapioca ou cuscuz branco, essa receita é preparada com a farinha de tapioca em flocos e é uma opção deliciosa pra ser servido como sobremesa. Teve sua origem na Bahia e é tradicionalmente preparado com coco ralado, açúcar, água ou leite.

E, finalmente, chegamos ao nosso cuscuz nordestino! Com a base de farinha de milho flocada (como já diria Juliette…), esse tipo de cuscuz costuma ser preparado no vapor, acrescentando apenas sal e levemente umedecido com água. Uma receita simples e fácil de preparar que pode caber em seu café da manhã, nas refeições principais e até mesmo nos lanches.

Como preparar o cuscuz nordestino?

É simples. É prático. É brasileiro. E é uma delícia. 

Aprenda a fazer o clássico cuscuz nordestino com a receita que separamos pra você:

Você vai precisar de:

  • 1 ½ xícara de chá de farinha de milho flocada
  • ½ colher de chá de sal
  • ¾ de xícara de chá de água
  • 2 colheres de sopa de manteiga

Pra preparar:

  1. Em uma tigela pequena misture a farinha de milho com o sal. Regue com a água aos poucos, mexendo com uma colher pra umedecer a farinha. A textura deve ficar como a de areia molhada, bem úmida. Deixe hidratar por 10 minutos, assim os flocos ficam mais macios ao cozinhar no vapor.
  2. Preencha o fundo da cuscuzeira com água e encaixe o cesto de vapor na panela. Transfira a farinha de milho hidratada para o cesto, sem compactar. Tampe e leve para cozinhar em fogo alto.
  3. Assim que começar a ferver, vai sair um leve vapor pela lateral da tampa. Abaixe o fogo e deixe cozinhar por mais 10 minutos até o cuscuz ficar bem macio. Verifique ao abrir a tampa: o cuscuz deve estar inflado e macio ao toque.
  4. Desligue o fogo e, com cuidado para não se queimar ou virar o cesto, puxe a haste central pra desenformar cuscuz. Transfira em uma tigela e desfaça o cuscuz em pedaços com um garfo.
  5. Em uma tigela pequena misture a manteiga com ¼ de xícara de chá da água fervente da cuscuzeira. Mexa com uma colher até derreter pelo menos a metade da manteiga (ela vai terminar de derreter com o calor do cuscuz).
  6. Regue a água com manteiga sobre o cuscuz e misture com o garfo – a água com manteiga deixa o cuscuz mais úmido e saboroso, no entanto, é opcional. Sirva a seguir. 

Muito importante: cuidado em não confundir os ingredientes, ok? Procure pela farinha de milho flocão, ou farinha de milho pra cuscuz nordestino. A farinha de milho amarela flocada é utilizada para o preparo de farofas e do cuscuz paulista.   

Quais são os benefícios do cuscuz nordestino?

Antes de tudo, é muito importante lembrar que a alimentação é muito mais do que apenas nutrientes. Consumir alimentos saudáveis, variados, pouco processados e que nos confortam é essencial para qualidade de vida e bem-estar. Talvez esse seja um dos principais benefícios do cuscuz nordestino: é um carinho para alma e faz parte da nossa cultura. 

Nutricionalmente falando, por ser preparado a base de farinha de milho flocada, o cuscuz nordestino é um alimento rico em carboidratos complexos, a principal fonte de energia para o nosso corpo se manter em atividade. 

Esse prato também possui ótimo teor de fibras alimentares, nutrientes muito importantes para saúde do intestino, facilitando o trânsito intestinal e promovendo uma microbiota intestinal saudável. As fibras também ajudam na sensação de saciedade, evitando o consumo exagerado de alimentos. 

Além disso, o cuscuz possui as vitaminas do complexo B, fundamentais para o processo de geração de energia, para produção de células do sangue, para o funcionamento do sistema neurológico e para um correto crescimento e desenvolvimento do corpo humano. 

O cuscuz nordestino ainda conta com minerais como o selênio e o zinco, essenciais ao sistema imunológico; o magnésio e o manganês, importantes para saúde dos ossos e dentes; e o ferro, fundamental para o transporte, armazenamento e liberação de oxigênio para as células.

A farinha de milho também apresenta muitos compostos antioxidantes, substâncias que combatem os radicais livres formados naturalmente pelo corpo. 

Ideias de como consumir o cuscuz nordestino

Um clássico brasileiro, o cuscuz nordestino é uma excelente variação para fazer parte da sua alimentação semanal. Descubra aqui ideias de como consumir e com o que combinar: 

Para um café da manhã completo 

O cuscuz nordestino é uma opção deliciosa pra começar bem o dia. Assim é possível variar o pão ou a tapioca que já consome. Você dorme pensando no gostinho de cuscuz da manhã seguinte. 

Uma ótima dica para esse momento é combinar o cuscuz com ovos. Aí é só escolher uma bebida de sua preferência – um cafezinho ou um chá natural – e finalizar com uma fruta. Pronto, temos um café da manhã completo!

Olha só essa receita de cuscuz nordestino com ovo poché: nada mais gostoso pra um café da manhã. Ah, se você não tem uma cuscuzeira individual, nesse vídeo a Rita Lobo também te ensina a preparar o cuscuz nordestino em panela convencional. 

Cuscuz nas refeições principais 

Você já pensou em almoçar um cuscuz nordestino recheado? Pois é. O cuscuz é tão versátil que pode ser recheado com ovos, queijos, carnes e até frango desfiado.

Nesse vídeo você aprende o passo a passo dessa receita que pode ser consumida durante as refeições principais. Acompanhe com uma salada fresca bastante colorida ou com legumes assados, ou cozidos no vapor.

Ainda sobre as refeições principais… o cuscuz nordestino também vai muito bem acompanhando sopas e cremes. 

Vai um lanche da tarde aí?

É isso mesmo! Dependendo da sua rotina, o cuscuz nordestino também pode fazer parte das pausas do dia a dia. Preparado apenas com sal, é um lanche intermediário muito gostoso, prático e nutritivo. E, por ser rico em carboidratos, é uma boa opção para o seu pré treino, afinal, entrega bastante energia, tudo o que precisamos para esse momento, certo?

Deu água na boca por aí, eu tenho certeza. Então, não perca tempo, compre logo os seus ingredientes para o cuscuz nordestino e aproveite essa iguaria tão “nossa”. 

Você vai gostar de ver…

dicas para dias quentes

Almoço para dias quentes: experimente 20 receitas leves

Nos dias quentes do verão, é fácil se deixar seduzir pelas opções refrescantes que surgem: das bebidinhas geladas ao seu sorvete favorito. Porém, a importância de manter uma alimentação saudável

receitas com carne moída

Do simples ao diferente: 15 receitas com carne moída

As receitas com carne moída podem ser um verdadeiro salva vidas na rotina de quem busca uma vida mais saudável e equilibrada. Isso porque além de ser um ingrediente bem

sorvete low carb

Sorvete low carb: como aproveitar sem sair da dieta

No universo da nutrição e das sobremesas, o açúcar sempre foi o vilão, relegando muitas delas a uma reputação de não saudáveis. No entanto, uma revolução doce está em andamento:

Permissão de cookies

Coletamos informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para melhorar o funcionamento das páginas, mensurar a audiência e oferecer uma melhor experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies.