Gordura corporal: nutri explica como diminuir o percentual

Muito além do peso na balança, existem outras métricas muito mais importantes para a avaliação da saúde, como no caso do percentual de gordura corporal. Você sabe como anda a sua? Para entendermos melhor sobre o assunto, contamos com o auxílio da nutricionista Julia Canabarro. 

A partir de dicas profissionais, você vai saber o que fazer para acompanhar a tabela de gordura corporal e como fazer para diminuir esse percentual. Acompanhe com a Liv Up!

O que é gordura corporal?

A gordura corporal nada mais é que a gordura que fica alojada no corpo. Ela não é necessariamente ruim: desempenha funções importantes, inclusive, mas tudo depende da composição do seu organismo. 

Dentro dessa esfera, é importante citar os tipos de gordura corporal, ou seja, os tipos de gordura que podemos encontrar no corpo humano. Há alguns exemplos, como:

  • Gordura essencial:

A gordura essencial, como o próprio nome já diz, é aquela que serve como parte fundamental para o melhor funcionamento do nosso organismo. Localizada nos órgãos, nervos e tecidos, serve como substrato energético para os órgãos, assim como isolante térmico e reserva energética também. Em outras palavras, ela é super importante para regular a temperatura, viu?

  • Gordura branca:

Esse tipo de gordura é o tipo que costuma se acumular pelo corpo. Também responsável pela maior reserva de triglicerídeos do organismo, costuma aparecer quando o balanço calórico resulta em acúmulo de peso. Aqui entram também outros fatores: as mulheres, por exemplo, têm uma tendência muito maior de acumular esse tipo de gordura quando comparadas aos homens.

  • Gordura marrom:

Também conhecida como “gordura boa”, a gordura marrom é a responsável pela proteção dos órgãos e como isolante térmico em situações de frio, incentivando o organismo a queimar calorias ao fazer essa proteção.

  • Gordura bege:

A gordura bege é a gordura capaz de transformar a gordura ruim em gordura boa. Originária da gordura branca ativada pela irisina. A irisina, por sua vez, é liberada durante a prática de exercícios, o que estimula o corpo a queimar gordura. Ou seja: se exercitar não apenas eliminará a gordura branca, como a transformará em gordura marrom. É um ganha-ganha para saúde. 

  • Gordura subcutânea:

Essa é a gordura que fica logo abaixo da nossa pele, aquela que conseguimos “beliscar”. Geralmente encontrada na região abdominal, pode-se identificar como aquela gordura que pode te impedir de ver os músculos.

  • Gordura visceral:

Essa gordura também, mas mais do que as outras, precisa ser cuidada com atenção. A gordura visceral fica atrás da parede abdominal e nos órgãos. Afeta de forma negativa a saúde pois aumenta o processo inflamatório do organismo.

Qual a quantidade ideal de gordura corporal?

“Não existe um consenso exato sobre qual é o nível ideal de gordura corporal para cada indivíduo. Precisamos analisar sempre o meio em que este indivíduo está inserido e a partir disso avaliar o cenário”, ressalta a nutricionista. Como cada organismo trabalha de maneira singular, é preciso realizar um estudo específico para cada corpo e só assim poderemos atingir um número palpável. 

Mas existem, sim, números-base ou valores de referência. “Normalmente estes valores se dão em percentuais. Há uma recomendação variável para homens e mulheres, sendo que para os homens o percentual ideal pode variar entre 16 a 20%, enquanto para as mulheres o percentual ideal pode variar entre 20 a 24%”, comenta Julia. Ou seja, a gordura corporal feminina possui números diferentes da gordura corporal masculina.

“No entanto, sabemos que o percentual de gordura pode chegar a níveis mais baixos em diversos casos, como por exemplo o caso de atletas, que podem chegar a ter menos de 8% de gordura corporal”, lembra a nutricionista. Apesar de ser um número bem menor do que o estipulado como “normal”, isso não necessariamente indica alguma condição negativa da pessoa, somente é um reflexo dos exercícios físicos e estilo de vida.

“Isso não quer dizer que estas pessoas estejam com a saúde fragilizada, e sim que possuem alto percentual de massa muscular e pouca quantidade de gordura. Esse cenário o difere de uma pessoa enferma, a qual possui baixo percentual de gordura por alguma patologia (caquexia)”, explica.

Por essas e outras que não podemos comparar nossos números, percentuais e resultados estéticos com os de outras pessoas. Cada um possui o seu metabolismo, seu desenvolvimento e ritmo, como reforçou a nutri: “Possuímos estes valores como referência básica, mas o ideal é avaliar as condições pessoais e tentar chegar no melhor valor para aquela pessoa, com base no seu histórico de peso e composição corporal.”

Os riscos do nível de gordura corporal alto

A tendência é: conforme maior o nível de gordura corporal, maiores também os níveis do colesterol ruim (LDL), ganho de peso e a possibilidade de doenças como a obesidade. Pressão alta, derrame e infarto são outros riscos provenientes dessa condição. Além disso, a nutri também alerta: “altos níveis de gordura corporal podem trazer diversos perigos para a saúde, tais como risco aumentado para doenças cardiovasculares, hipertensão, diabetes tipo 2.”

Como perder gordura corporal?

Um dos grandes desafios da nutrição e do cuidado com a saúde é o de como diminuir percentual de gordura corporal, principalmente quando tratado de forma saudável. A nutri lembra: “não há fórmula milagrosa, é necessário comprometimento, constância e paciência.” Por isso é importante não se deixar levar por métodos milagrosos e seguir alguns passos essenciais para um emagrecimento saudável.

“A primeira etapa é encontrar um nutricionista que entenda suas necessidades e elabore um plano alimentar com o objetivo de emagrecimento. Assim, consequentemente, ajudará na perda de gordura.”, ressalta Julia Canabarro. O auxílio profissional é muito importante nessa caminhada, tendo em vista que um olhar crítico e qualificado em cima da sua situação poderá ser o divisor de águas na busca de resultados.

“Além disso, alinhar uma boa alimentação com atividade física irá auxiliar a manter uma composição corporal mais equilibrada, pois exercícios de força auxiliam tanto na perda de gordura quanto na construção de massa muscular.” Como em tudo na vida, encontrar o equilíbrio só tornará o processo mais prazeroso e duradouro, fazendo bem para a sua saúde de forma geral.

Gordura corporal vs. alimentação

Como lembra a nutri, escolhas alimentares saudáveis geram consequências muito positivas no que diz respeito à composição corporal. Fazer escolhas inteligentes auxilia na construção de massa muscular, melhoram o tônus da pele, auxiliam na redução da inflamação e até mesmo da celulite, no caso do público feminino. Por isso que falamos de saúde quando tratamos de emagrecimento, pois, quando realizado de forma equilibrada, traz benefícios para a saúde do seu organismo de forma completa.

“A qualidade dos alimentos influencia diretamente nos resultados, tanto na saúde quanto na estética”, afirma a nutricionista. Ou seja, não estamos falando apenas de calorias: e sim de qualidade alimentar. 

A alimentação correta é capaz de unir sabor e saúde, principalmente usando ingredientes bacanas, a famosa comida de verdade. E reunir tudo isso é especialidade da Liv Up! Em nosso site você encontra pratos e refeições que vão te ajudar e seguir direitinho o plano alimentar do seu nutricionista, mesmo quando o tempo está curto. 

Tem comidinhas low carb, seleção para dieta saudável, pratos ricos em proteínas e muito mais. Vem experimentar! 


Júlia Sommer Canabarro nutricionista

Júlia Sommer Canabarro

Nutricionista graduada pela Universidade Federal de Pelotas. Pós-graduada em Nutrição Esportiva, e pós-graduanda em Nutrição Estética, ambas pelo IPGS. Trabalha como nutricionista na Dietbox, na área de Experiência do Cliente. Também atua em consultório com foco em emagrecimento saudável e reeducação alimentar.

Você vai gostar de ver…

como usar bicarbonato na musculação

Nutri responde: bicarbonato na musculação faz diferença?

Já pensou se o bicarbonato pode ser o segredo para turbinar seus resultados? Vamos desvendar essa questão agora! Acompanhe com a Liv Up e o nutricionista Fabrício Degrandis e descubra

whey pode substituir uma refeição

Nutri responde: whey pode substituir uma refeição?

Você não precisa ser fissurado em academia para conhecer o famoso Whey Protein, visto que seu consumo pode ser feito mesmo se você não treinar. No smoothie, shake e até

Nutri explica sobre carboidratos de alto índice glicêmico

Sabemos que o consumo de açúcar interfere diretamente no organismo, mas diferente do que muita gente pensa, o índice glicêmico não é determinado apenas pela quantidade direta de açúcares consumidos

Permissão de cookies

Coletamos informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para melhorar o funcionamento das páginas, mensurar a audiência e oferecer uma melhor experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies.