Importância de alimentos individualizados para crianças

alimentos individualizados

Os primeiros anos de vida têm como uma das principais características as mudanças rápidas no desenvolvimento. Principalmente no que diz respeito à alimentação. Nesse ínterim, a dúvida mais comum é: qual a melhor alimentação complementar? Os alimentos individualizados ou as famosas papinhas?

Introdução da Alimentação Complementar

Primeiramente, a orientação mais conhecida para introduzir a alimentação complementar é começar com refeições pastosas, como papinhas, purê, sopas e cremes. E, gradativamente, aumentar a consistência até chegar aos hábitos alimentares da família.

No entanto, a indicação de recorrer a esses alimentos, vem da época em que se acreditava que os bebês precisavam de complementos alimentares já aos 3 ou 4 meses, além do leite materno.

Porém, de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), a incorporação de alimentos na dieta dos bebês deve iniciar a partir dos 6 meses. Nesse período eles já estão preparados para ingerir alimentos que exigem mastigação. O que se torna, portanto, ideal para introdução de alimentos individualizados.

Nessa fase, as crianças já começam a adquirir habilidades como sentar sem apoio, levar objetos à boca com as mãos e demonstrar interesse no que os adultos comem.

Salvo o fato é claro, se a criança tiver necessidades de saúde específicas. Se nasceu prematura, por exemplo, ou se tem algum atraso no desenvolvimento.

Para prática da introdução alimentar, é importante colocar o  bebê sentado, junto à família, na hora das refeições e disponibilizar alimentos apropriados.

Método BLW

O método Baby-Led Weaning (BWL), que em português significa “desmame guiado pelo bebê”, é uma das mais reconhecidas maneiras de introduzir alimentos na dieta dos bebês. Em suma, nele, o desenvolvimento, o ritmo e a autonomia da criança são respeitados.  

Na fase de transição, na qual o leite deixa de ser a única fonte nutricional das crianças, é importante oferecer alimentos individualizados. Isso para que os pequenos comecem a reconhecer os sabores e texturas diferentes.

O caráter saudável é uma característica que merece destaque no método. Dê preferência, assim, às porções e aos formatos que a criança consiga pegar com as mãos e levar sozinha à boca. Cenouras cozidas e cortadas em forma de palitos ou ramos de brócolis, também cozidos, são boas alternativas.

É possível que, nas primeiras tentativas, seu filho mais brinque com os alimentos do que coma. E isso é extremamente normal! O segredo é não forçar a barra nem ficar tentando enfiar você mesmo a comida na boca da criança. Lembre-se que respeitar o ritmo da criança é fundamental.

Dizer a uma criança que ela não se alimentou o suficiente e precisa comer mais é tão absurdo quanto falar que ela respirou pouco e precisa respirar mais.

Segundo alguns pediatras por mais que os bebês sejam expostos à comida, muitos levam um tempo até começarem, de fato, a se alimentar. Assim, é comum ingerirem quantidades pequenas até os 8 ou 9 meses. Muitas vezes até mais tarde.

Benefícios dos Alimentos Individualizados

Os alimentos individualizados permitem novas experiências e desenvolvem a capacidade da criança de diferenciar o que elas gostam ou não gostam. Isso se torna impossível quando se trata das papinhas, em que os ingredientes se apresentam misturados, dificultando a identificação dos sabores.

Além disso, eles estimulam a autonomia da criança desde o princípio, porque permite que ela escolha, quando e quanto se come.

Um estudo publicado pelo British Medical Journal constatou que bebês que se alimentam sozinhos têm um risco menor de se tornarem obesos no futuro, em comparação com os que recebem papinhas.

Isso porque eles desenvolveriam mais cedo a capacidade de controlar o próprio apetite e de identificar o momento em que estão satisfeitos.

Sem falar no fato que ganham a chance de praticar a coordenação motora e as habilidades sociais, ao participar das refeições em família.

A fase de introdução alimentar é fundamental. E os alimentos individualizados permitem um maior entendimento do universo do seu bebê. O estímulo a uma alimentação saudável, mesmo que inconscientemente, proporciona inúmeros benefícios no desenvolvimento motor e físico do seu filho.

Agora que você já sabe da importância da introdução de alimentos individualizados na alimentação do seu bebê, confira as opções que a Liv Up tem para facilitar sua rotina de maneira saudável.

Você vai gostar de ver…

psyllium emagrece

Psyllium emagrece? Mitos e verdades sobre o alimento

Vira e mexe surge um novo alimento com um poder desconhecido gerando dúvidas na internet. É o caso do Psyllium. Afinal, Psyllium emagrece mesmo ou é história? A seguir, a

ultraprocessados

Alimentos ultraprocessados: como identificar e substituir

Vivemos em uma era em que os alimentos ultraprocessados são praticamente onipresentes. Em muitos casos, fica ainda mais difícil passar longe deles, pois existem industrializados com roupagem de “comida saudável”. 

fome emocional

Fome emocional: como mudar sua relação com a comida?

Sabe aquela história de comer por ansiedade ou descontar um dia estressante num docinho? Então, ela tem nome. A fome emocional, muitas vezes desencadeada por sentimentos, pode impactar nossos hábitos

Permissão de cookies

Coletamos informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para melhorar o funcionamento das páginas, mensurar a audiência e oferecer uma melhor experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies.