Mitos e verdades sobre congelamentos de alimentos

Com a rotina corrida que levamos, é normal buscarmos maneiras pra tornar a vida mais prática e menos estressante. E a alimentação não fica fora dessa, certo? Pensando na praticidade da alimentação do dia a dia, o congelamento de alimentos é uma ótima opção!

Sabemos que às vezes fica difícil encontrar tempo pra planejar e preparar um cardápio saudável e balanceado. Então, uma forma de garantir a ingestão necessária de todos os nutrientes pra manter a saúde em dia, sem entrar em uma rotina desgastante e monótona, é aderir ao congelamento de alimentos.

Ter ingredientes ou pratos prontos para o consumo no seu freezer pode te salvar de horas na cozinha ou de consumir algo que não seja tão saudável. Pra isso, é preciso entender o que é a técnica de congelamento de alimentos e como fazê-la da forma mais segura e correta. 

Se você quer aderir a essa ideia, mas ainda tem algumas dúvidas sobre o assunto, fique por aqui. Neste post, procuramos esclarecer mitos e verdades sobre congelamento de alimentos e facilitar de vez a sua vida. Vamos lá?

Os benefícios do congelamento de alimentos

Mais conforto e praticidade no dia a dia

Imagina chegar em casa após um dia de trabalho, abrir a geladeira e não encontrar nenhuma comida pronta? Em suma, sua opção será deixar a preguiça de lado e cozinhar algo, perdendo um tempo crucial de descanso e autocuidado. 

Por isso, ter alimentos já prontos para o consumo e congelados em seu freezer traz mais praticidade para o dia a dia. Eles têm um preparo rápido, pois já estão prontos e só precisam ser descongelados no micro-ondas ou no forno convencional pra serem consumidos.

É melhor para o seu bolso

Sem uma refeição pronta em casa, outra opção que surge é o delivery. No entanto, nem sempre é a melhor ideia.

Primeiro porque, geralmente, encontramos opções pouco saudáveis e balanceadas pra entrega. Isso pode prejudicar seu planejamento alimentar e também sua saúde e bem-estar.

E, em segundo lugar: pesa muito no bolso. Será sempre mais econômico ter alimentos congelados em seu freezer. Que tal reduzir seus gastos?

Evita o desperdício de alimentos

Por estarem congelados, você garante a conservação dos alimentos por muito mais tempo. Afinal, evita que os alimentos estraguem antes de que você possa consumi-los, ajudando a reduzir o desperdício de comida

Pode ajudar no controle da rotina e do peso

Congelar e descongelar pequenas porções apenas pra uma refeição te ajuda a ter mais controle sobre o que tem no seu refrigerador. Assim, você consegue se preparar pra semana inteira.

Além, é claro, de diminuir o consumo exagerado em uma única refeição, podendo ajudar no controle de um peso saudável.

Conserva o valor nutricional do alimento

Quando um alimento é congelado de maneira correta, seu valor nutricional é conservado. Afinal, com o congelamento, o alimento se torna rígido, o que impede a movimentação de moléculas em seu interior. 

Torna sua alimentação mais variada e colorida

Com o congelamento de alimentos e refeições, é possível variar muito mais na sua alimentação, principalmente quem mora sozinho. Afinal, é só descongelar uma porção pequena de cada opção e aproveitar a variedade!

Mitos e verdades sobre congelamento de alimentos

Hoje em dia é muito comum recorrer à comida congelada, tanto a feita em casa quanto a comprada fora. No entanto, ainda restam muitas dúvidas sobre a data de validade desses alimentos, a perda de nutrientes ou não ao irem para o freezer, a forma correta de armazená-los, entre tantas outras. Veja a seguir: 

Toda comida congelada faz mal à saúde

Mito. Apesar de haver muitas opções nos freezers dos supermercados de comidas que não são saudáveis, não significa que todas elas fazem mal à saúde. Isso porque nem tudo é processado e industrializado.

Pra garantir uma alimentação de qualidade, é preciso ter pratos balanceados, variados, coloridos, ricos em nutrientes e sem aditivos, como conservantes, corantes e aromatizantes.

Ou seja, uma refeição congelada feita de modo caseiro e com alimentos “de verdade” não faz mal à saúde!

Alimentos congelados perdem suas propriedades nutricionais

Mito. Essa é uma das principais dúvidas de quem busca praticidade, mas não quer abrir mão de uma alimentação saudável. A perda de nutrientes, como vitaminas e minerais, através do congelamento é insignificante e não deve ser uma preocupação.

A preservação das propriedades nutricionais vai depender, principalmente, da forma como esses alimentos são preparados, resfriados e armazenados. Hoje há métodos bastante eficazes, como o ultracongelamento, que garante a qualidade do produto a ser consumido.

Uma vez congelados, os alimentos não perdem a validade

Mito. A técnica de congelamento retarda o processo de deterioração dos alimentos, mas isso não significa que não irão vencer um dia. A presença de ar nas moléculas induz o processo de oxidação da mesma forma, mesmo se houver baixa temperatura.

Por isso, deixar esses ingredientes no freezer quando não consumidos a tempo é a melhor forma de evitar o desperdício. Mas não vá se esquecer deles por lá!

Veja por quanto tempo é possível congelar cada alimento. Lembrando, é claro, que são tempos aproximados:

  • Pães e bolos: até 6 meses
  • Frutas e legumes: de 3 a 6 meses
  • Peixes e frutos do mar: de 2 a 6 meses
  • Aves e carnes cozidas: de 3 a 6 meses
  • Aves e carnes cruas: até 12 meses
  • Produtos lácteos: até 6 meses
  • Massas cozidas: até 3 meses
  • Caldos e sopas: de 2 a 3 meses
  • Grãos e cereais: até 3 meses

Lembre-se de anotar o prazo de validade na embalagem utilizada para o congelamento de alimentos. Quando comprar ingredientes já congelados, leia o rótulo dos produtos. Lá você encontrará as instruções de conservação.

E pra garantir uma melhor durabilidade dos alimentos, não deixe de limpar o freezer com frequência e fique de olho na temperatura interna.

Toda comida congelada tem muitos aditivos

Mito. Muitas comidas industrializadas e congeladas disponíveis no mercado, de fato, apresentam muitos aditivos em sua composição. Pra evitar que estraguem com facilidade ou pra ressaltar o sabor, o aroma, a textura ou a cor do produto, muitos fabricantes adicionam conservantes, acidulantes, adoçantes, emulsificantes, corantes e aromatizantes. 

No entanto, as refeições congeladas produzidas de forma artesanal, como se fosse na sua própria casa, não apresentam aditivos em sua composição. Sua saúde agradece, e o seu futuro também! 

Por isso, é sempre fundamental ler os rótulos, as listas de ingredientes e conhecer o modo de preparo dos alimentos congelados que você adquire.

Todos os produtos congelados são ricos em sódio

Mito. Em suma, a ideia aqui é a mesma aplicada aos aditivos. Cada vez mais os consumidores estão conscientes da importância de manter uma alimentação equilibrada, que inclua mais produtos naturais e menos industrializados. 

Então, ao escolher o que colocar na sua mesa, dê preferência para os produtos congelados com baixo teor de sódio. Como já comentamos, leia os rótulos e verifique as informações nutricionais antes de colocar qualquer item no seu carrinho de compras.

Alguns alimentos não devem ser congelados

Verdade. Acontece que alguns alimentos, quando descongelados, podem apresentar diferenças significativas na textura, na firmeza, na cor e também no sabor. Isso não significa que o alimento estraga, mas que ele não terá suas características anteriores. Por isso, não é recomendado o congelamento de alguns alimentos.

Veja a seguir a lista com alguns deles:

  • Frutas e legumes ricos em água (pepino, tomate cru, maçã, pera, melão, melancia, por exemplo);
  • Verduras como o alface, a rúcula e a acelga;
  • Batata;
  • Creme de leite, iogurte e leite (caso vá beber puro depois de descongelar);
  • Alguns tipos de queijos;
  • Ovo já cozido;
  • Maionese;
  • Chantilly.

No caso das frutas, principalmente, elas podem ser congeladas se você for usá-las pra outra finalidade mais tarde. Afinal, algumas frutas podem ter sua textura alterada durante o congelamento. Mas, pra evitar que apodreçam e você tenha que jogá-las fora, é possível congelar pra usar em receitas como smoothies e geleias.

Já para o caso das folhas, por outro lado, experimente bater espinafre, salsão ou couve com um pouco de água no liquidificador e congelar a mistura em forminhas de gelo. É uma ótima pedida pra fazer suco verde nos dias seguintes.

Para aquelas folhas de tempero não se perderem, como a salsinha e a cebolinha, bata também no liquidificador com um pouco de azeite e congele em seguida. Use quando quiser pra temperar a comida.

Fritura não pode ir ao freezer

Mito. Os alimentos que foram fritos podem ser congelados pra garantir maior durabilidade. A atenção especial deve ser na hora de fazer o descongelamento: pra torná-lo crocante novamente, o ideal é retirá-los do congelador e fritá-los imediatamente. Não deixe pra descansar fora do freezer.

Ah! Se você deseja fazer uma refeição com menos gorduras, pode colocar o produto diretamente no forno convencional. O descongelamento no fogão vai preservar a consistência desejada.

Outros tipos de alimentos, além das frituras, também não precisam ser descongelados antes do preparo, por exemplo:

  • Refeições prontas;
  • Pão de queijo;
  • Tortas;
  • Folhados;
  • Waffles.

Líquidos não podem ser congelados

Mito. Há, aliás, muitas dúvidas em relação ao congelamento de alimentos líquidos, como leite, sopas e sucos. Pra esclarecer de vez essa questão, saiba que esses itens podem ir sim para o freezer. Entenda, no entanto, algumas especificidades:

  • As polpas de frutas, por exemplo, podem ser armazenadas entre três e cinco meses no congelador;
  • Os pratos que levam diferentes itens líquidos, como o estrogonofe (preparado com creme de leite), pode ser congelado sem qualquer perigo. No entanto, o consumo deve ser mais rápido devido à facilidade dessa refeição perder a textura correta. Não o deixe lá por mais de 10 dias;
  • Se aquele leite que você comprou está perto de vencer, deixe no congelador e use-o pra fazer um bolo ou smoothie quando tiver tempo. O leite só não deve ser congelado pra tomar puro mais tarde, pois estará mais aguado e sem a textura ideal.

Massa crua não pode ir ao freezer

Mito. Essa é outra informação bastante difundida por aí que deve ser desmistificada. Se você gosta de preparar massas em casa para a produção de pães e pizzas, por exemplo, confira esta dica!

Tanto a massa crua quanto a já assada pode ir ao freezer. Se deseja guardá-la sem levar ao forno antes, congele por, no máximo, 15 dias. Isso vai garantir que a sua massa não pegue muita umidade. Se já estiver pré-assada, o armazenamento pode ser feito por até um mês. Na hora de descongelar, por fim, deixe na geladeira.

Pães podem ser congelados

Verdade. Você comprou aquela baguete ou um pacote de pão de forma pra fazer sanduíches e não sabe se vai dar conta de comer tudo antes de vencer? Não tem problema.

Congelar pães pode ser a melhor forma de preservá-los, pois os fungos não vão conseguir se reproduzir em baixa temperatura. Essa regra vale também pra outros produtos de padarias, como roscas e croissants, por exemplo.

E uma dica: na hora de descongelar, passe um pouquinho de água na casca do pão e leve-o ao forno. Assim, você garante aquela textura do pão recém-assado.

Alimentos com temperos não podem ir ao freezer

Mito. Não há nenhuma regra pra isso e o congelamento pode ser feito da mesma forma. Esse tipo de alimento, no entanto, tem uma vida um pouco mais curta lá dentro. É recomendado consumi-lo em um prazo máximo de um mês.

Levar ao freezer também não vai influenciar no sabor do seu prato. Por isso, não tenha medo de usar condimentos naturais na hora de cozinhar, como cebola, alho, pimenta, salsinha e cebolinha.

É preciso esperar o alimento resfriar antes de congelá-lo

Mito. Muita gente repete esse processo sem se perguntar sobre sua real necessidade. O ideal é exatamente o oposto: congelar a refeição ou o alimento ainda quente. Isso vai, inclusive, determinar o tempo de duração no seu freezer.

Esperar a sua comida esfriar em cima da pia pode deixá-la mais exposta. Assim, consequentemente, sofrer algum tipo de contaminação. Lembre-se que, mesmo no freezer, as bactérias podem se proliferar.

Existem formas mais saudáveis de fazer o congelamento de alimentos

Verdade. Pra garantir o armazenamento correto dos produtos e pra diminuir os riscos de contaminação por fungos e bactérias, há algumas técnicas a serem usadas nesse processo, como o ultracongelamento que já citamos por aqui.

Dessa forma, você elimina a necessidade de usar conservantes no preparo e garante apenas a ingestão de produtos naturais em sua refeição. É claro, no entanto, que essas técnicas vão variar se o congelamento for feito em casa ou de forma industrial.

Produtos congelados precisam ser transportados na temperatura correta

Verdade. O transporte dos alimentos congelados deve ser tão importante quanto o congelamento em si. Ao levá-los do supermercado pra sua casa, ou da sua residência para o trabalho, é preciso transportá-lo na temperatura certa.

Por isso, faça o uso de bolsas ou sacolas térmicas ou de um isopor com gelo. Assim, você garante vida longa ao produto e diminui o risco de contaminação por microrganismos prejudiciais.

Refeições congeladas são todas iguais

Mito. Aqui, mais uma vez, vai depender do tipo de comida congelada que você escolhe consumir. Na hora de comprar as suas refeições, opte sempre por empresas como a Liv Up. Somos comprometidos com a sua saúde e com a produção de alimentos de qualidade.

Sempre dê preferência aos alimentos naturais e deixe de lado os processados, que são ricos em calorias, gorduras saturadas, sódio e aditivos. 

Existem embalagens mais adequadas pra fazer o congelamento

Verdade. Pra garantir o acondicionamento adequado do produto e maior duração após ser congelado, é preciso estar atento ao tipo de embalagem. Ao usar um recipiente de plástico, por exemplo, você consegue retirar quase todo o ar. Assim, o alimento fica protegido.

No caso de papel e vidro, não é possível isolar o produto da temperatura externa e pode haver deterioração precoce ou queimadura devido ao frio. Portanto, use embalagens adequadas e garanta um aumento do tempo desses itens no seu freezer.

A ordem como os produtos são armazenados no freezer pode mudar o tempo de deterioração

Verdade. Não é somente porque os alimentos foram colocados no seu freezer que estão seguros para o consumo por muito tempo. Assim como as embalagens são importantes pra garantir uma vida mais longa, a forma de organização também.

Deixe o lugar mais frio pra carnes e peixes, enquanto outros alimentos podem ficar nas partes mais baixas. A temperatura do seu congelador também vai fazer a diferença, por isso, esteja sempre de olho e certifique-se que está adequada.

Os produtos devem ser descongelados em temperatura ambiente

Mito. Retirar um alimento do freezer e deixá-lo em cima da pia, por exemplo, pode não ser a melhor opção pra garantir sua qualidade. Isso porque pode haver uma chance maior de bactérias proliferarem enquanto descongela.

O ideal é retirá-lo do congelador na noite anterior ao consumo e deixá-lo na geladeira. Se não for possível, coloque o produto em saquinhos de alimento, feche a embalagem e mergulhe-o em água fria. Outra dica é colocar diretamente no forno convencional ou micro-ondas. Portanto, nada de deixar no sol pra descongelar mais rápido ou jogar água quente por cima.

Ao descongelar um alimento, ele não pode voltar para o freezer

Verdade. Essa informação muitos aprenderam, com certeza, com as avós que gostam e têm o costume de cozinhar.

Um alimento descongelado que retorna ao freezer pode perder algumas características como a textura, a cor, a aparência e o sabor. Além disso, com o descongelamento, o produto pode ser exposto a novos microrganismos, e pode ser contaminado. Lembre-se: o congelamento não mata fungos e bactérias, apenas desacelera sua proliferação.

Assim, uma vez descongelado, o consumo deve ser imediato. Se não for possível, pode guardar por mais alguns dias na geladeira.

Dicas: 

  • Pra evitar essa questão, procure separar os alimentos em pequenas porções antes de levar ao freezer. Assim, é possível retirar apenas o que for consumir! 
  • Não existe problema em descongelar uma carne crua, prepará-la e voltá-la para o freezer. A carne precisa, no entanto, ter passado por altas temperaturas durante o cozimento, eliminando assim boa parte dos microrganismos prejudiciais. 

Alimentos congelados podem ser saudáveis

Com todas essas dicas que trouxemos, já deu para perceber que adotar a prática de congelar ou comprar alimentos congelados não precisa ser, necessariamente, prejudicial à saúde.

Pra fazer uso dessa técnica e trazer mais praticidade ao seu dia a dia, é preciso levar os seguintes critérios em conta:

  • Opte sempre por comida de verdade;
  • Evite os produtos industrializados e processados;
  • Não compre alimentos com muitos aditivos;
  • Procure refeições balanceadas que ofereçam os nutrientes essenciais;
  • Leia rótulos e embalagens pra garantir a procedência do produto.

Essas regras valem, principalmente, se você for comprar refeições prontas pra ajudar no dia a dia corrido. Já se for preparar os alimentos em casa pra serem conservados no freezer, use as técnicas ensinadas aqui pra garantir a qualidade do alimento e, consequentemente, a proteção da sua saúde.

Armazene os alimentos de forma correta

Já se convenceu de que produtos congelados podem ser saudáveis e saborosos e podem salvar o seu dia quando a fome apertar? Então, veja as nossas dicas pra congelar os alimentos de forma correta:

  • Leve ao freezer somente alimentos frescos;
  • Use frascos corretos pra congelar os itens, como os de plástico. Nada de usar papelão;
  • Retire o máximo de ar possível do recipiente;
  • Congele os alimentos em porções pequenas, com a quantidade necessária pra uma refeição única ou pra sua família;
  • Identifique todos os itens com etiquetas. Coloque o tipo de alimento e a data em que foi preparado;
  • Não deixe os alimentos no freezer por mais de 3 meses.

Além de dar atenção especial à essas regrinhas, saiba que cada alimento tem uma forma diferente de preparo e congelamento. Olha só:

  • As frutas, por exemplo, devem ser descascadas, e o caroço removido;
  • Já os vegetais devem passar pelo processo de branqueamento: lave e corte o alimento normalmente, jogue-o em água fervente por poucos minutos e, em seguida, coloque em água fria pra dar o choque térmico. Essa técnica vai garantir que as características dos itens sejam mantidas e evitar a proliferação de microrganismos;
  • No caso dos diferentes tipos de carnes vermelhas, frango e peixes, as peças devem ser limpas (retire as partes que não são comestíveis) e congeladas em porções.

Agora que já sabe como alimentos congelados também podem ser saudáveis, não deixe de conhecer os nossos produtos!

Você vai gostar de ver…

déficit calórico dos alimentos

Déficit calórico: como funciona a fórmula das calorias

Quem quer emagrecer certamente já esbarrou por aí no conceito de déficit calórico, até porque é impossível perder peso sem ele. Entender essa relação entre as calorias ingeridas e as

refeição cardápio para o dia a dia

Cardápio para o dia a dia: 20 receitas pra experimentar

Quando o assunto é alimentação saudável, um dos grandes desafios é elaborar um cardápio para o dia a dia que reúna refeições práticas, mas também saborosas. Afinal de contas, a

iogurte saudável com frutas

Iogurte saudável: como escolher o melhor

Saboroso, versátil e bem equilibrado, o iogurte saudável é uma opção queridinha na hora de montar um cardápio bacana. Vai bem com frutas, com granola, em molhos para saladas e

Permissão de cookies

Coletamos informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para melhorar o funcionamento das páginas, mensurar a audiência e oferecer uma melhor experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies.