Orgânicos

Quais são os principais benefícios dos alimentos orgânicos

janeiro 6, 2020
alimentos orgânicos

Os alimentos orgânicos estão cada dia mais presentes no cardápio de quem busca uma alimentação saudável, equilibrada e rica em nutrientes. Nesse sentido, se destacam pelo seus benefícios à saúde. Além de não conterem químicos perigosos ao nosso organismo, apresentam um maior valor nutricional.

Tal característica se reflete em nossa saúde. Comer de forma balanceada e investir em alimentos de qualidade traz melhorias ao funcionamento do corpo como um todo. Os sistemas digestivos e imunológico, o metabolismo, a qualidade do sono, o desempenho em atividades físicas, até mesmo a pele e o cabelo, são afetados positivamente.

Elencamos abaixo as principais vantagens do consumo de alimentos orgânicos, tanto para o meio ambiente quanto para quem consome. Confira:

Afinal, o que são os alimentos orgânicos?

De acordo com a legislação brasileira (lei número 10.831, de 23 de dezembro de 2003), para que seja rotulado como orgânico, um alimento precisa ser cultivado e processado com critérios específicos exigidos por essa lei.

Em síntese, são aqueles produzidos livres de agrotóxicos, sem uso de substâncias artificiais, pesticidas sintéticos, fertilizantes à base de petróleo ou radiações ionizantes. Não podem ainda, sofrer qualquer alteração genética, uso de hormônios ou transgênicos. Além disso, precisam ser cultivados em solo seguros, separados de plantações convencionais.

Os alimentos orgânicos, de acordo com o Ministério da Agricultura, devem ainda ser produzidos ou extraídos em um sistema sustentável para o meio ambiente e as comunidades produtoras. As técnicas de produção sustentáveis precisam otimizar não só os recursos naturais, como também os socioeconômicos. Isso engloba a sustentabilidade ecológica, como priorizar o uso de energias renováveis e limpas, quanto o respeito à cultura e desenvolvimento de comunidades rurais. Os produtos precisam respeitar normas que asseguram a qualidade do ambiente de trabalho, assim como os métodos de distribuição e comercialização.

Orgânicos de origem animal e industrializados

Embora se pense principalmente em frutas e verduras quando se fala em alimento orgânico, o conceito abrange outros tipo de produtos. Entram na classificação os de origem animal (carne, ovos, leite) e os industrializados, que devem conter 95% de ingredientes orgânicos, no mínimo.

No que se refere aos produtos de origem animais, devem ser criados soltos com acesso ao pasto, e alimentados de forma orgânica. Os animais são tratados principalmente com medicamentos fitoterápicos e homeopáticos, além de serem alimentados livres de agrotóxicos. Nada de antibióticos ou hormônios para influenciar no crescimento. Por fim, as fazendas que criam esse tipo de animal, para receber a certificação, precisam ainda assegurar a proteção às nascentes de rio e estão proibidas de utilizar fogo no manejo das pastagens.

Principais benefícios dos alimentos orgânicos

Como vimos, a alimentação consciente vai além do prato – resultando em benefícios tanto para a saúde dos consumidores e produtores rurais quanto para o meio ambiente e a economia local.

Em termos de saúde, consumir esse tipo de alimento com frequência impacta significativamente o nosso organismo. Ingerir vegetais e produtos de origem animal orgânicos contribui para uma melhor nutrição. Confira os principais benefícios dos alimentos orgânicos:

1. Menor índice de toxicidade e substâncias prejudiciais à saúde

Devido ao processo de produção que exclui agrotóxicos e fertilizantes artificiais, hormônios, aditivos e outras substâncias nocivas, são alimentos mais seguros. Assim, produtores e consumidores têm menos contato com produtos tóxicos. Isso diminui drasticamente a probabilidade de conter resíduos de substâncias prejudiciais.

Quem come orgânicos é menos propenso a ter crises alérgicas e respiratórias, sobrepeso, bem como outras complicações associadas aos aditivos. Entre elas, problemas neurológicos, distúrbios hormonais, até mesmo câncer e outras doenças.

Além de todos os benefícios para a saúde já mencionados, vale destacar ainda a segurança alimentar. Isso, porque vegetais e produtos de origem animal orgânicos são cultivados e produzidos sem a utilização de agroquímicos. Já que há um processo rigoroso de fiscalização, tais alimentos são mais confiáveis.

2. Possuem mais nutrientes

Estudos científicos comprovaram que, devido à forma de cultivo, alimentos orgânicos possuem maior concentração de nutrientes importantes. Por exemplo, vitaminas, minerais e antioxidantes aparecem em maior quantidade nos orgânicos que em suas versões convencionais. Em suma, são mais benéficos à saúde.

Uma das hipóteses sugere que o valor nutricional dos alimentos não orgânicos pode ser prejudicado pelos fertilizantes químicos. Isso, porque eles aceleram o desenvolvimento das plantas ao aumentar a quantidade de água presente neles. Desse modo, os nutrientes são diluídos nessa quantidade maior de líquido.

Outra diz que, como não há utilização de pesticidas e fungicidas no cultivo, as plantas precisam aumentar sua produção de substâncias protetoras contra ameaças como microrganismos e pragas. Assim sendo, refletem em um teor mais elevado de nutrientes.

Um estudo revisado por pesquisadoras da Universidade de Newcastle, no Reino Unido, encontrou diferenças importantes nos alimentos de origem animal orgânicos e não orgânicos. Analisando amostras de carne, leite e ovos a grande vantagem encontrada foi a maior quantidade de ácidos graxos ômega 3 (um tipo de gordura saudável) e vitamina E. Além disso, foi detectada uma menor concentração de cádmio (um metal tóxico) nos derivados orgânicos de origem animal. Entre as possíveis causas, seria o tipo de pastagem e alimentação oferecida aos animais.

3. Maior teor de fitoquímicos

Os fitoquímicos são as substância antioxidantes contidas nos vegetais. Elas conferem as cores características desses alimentos e ajudam a proteger contra doenças. É o caso do betacaroteno presente nas cenouras ou o licopeno presente no tomate. Por consequência, não usar pesticidas resulta numa maior concentração desses compostos.

Confira os fitoquímicos essenciais na alimentação:

Verde: contém luteína, zeaxantina e clorofila. Tais substâncias protegem os olhos, desintoxicam o corpo, regulam a pressão. Os sistemas imunológico e circulatório assim como o músculo cardíaco são fortalecidos por elas. Couve, brócolis, couve, repolho, mostarda são ricos nesse fitoquímicos.

Laranja e Amarelo: são aqueles ricos em betacaroteno, um poderoso antioxidante que fortalece o sistema imunológico. Possuem também vitamina A, que ajuda a diminuir os riscos de doenças do coração. Entre as fontes podemos citar o damasco, laranja, mamão, melão e abacaxi.

Vermelho: o licopeno é o pigmento responsável pela cor vermelha dessa substância antioxidante. Ajuda a prevenir doenças do coração e diversos tipos de câncer, incluindo o de próstata. O tomate, a goiaba vermelha, a melancia, por exemplo, são excelentes fontes desse nutriente.

Branco: alimentos como cebola, alho, cebolinha e alho-poró são ricos em alicina. A substância que combate infecções e contribui para a redução do colesterol, triglicérides e pressão sanguínea.

Azul e Roxo: a antocianina é o pigmento antioxidante responsável pela coloração preta, vermelha, púrpura e azulada de diversas frutas e vegetais, como a berinjela, amora e repolho roxo. Sua contribuição para a saúde é prevenir contra doenças cardiovasculares e o câncer, além de reduzir o colesterol.

4. Não possuem transgênicos

Conhecidos popularmente pelo nome de transgênicos, os organismos modificados geneticamente são aqueles cujo DNA foi alterado. Assim, plantas e animais não são mais produzidos na natureza ou em cruzamentos tradicionais. Acabam sendo vantajosos para os produtores por serem mais resistentes à pragas e outros tipos de doenças.

Os malefícios desses alimentos para a saúde humana ainda são imprecisos. O IDEC (Insituto Brasileiro de Defesa do consumidor) lista alguns problemas como: aumento das alergias, aumento de resistência aos antibióticos, aumentos das substâncias tóxicas, além dos riscos ao meio ambiente.

Disponibilidade dos alimentos orgânicos

Infelizmente, alimentos orgânicos ainda não são tão acessíveis do ponto de vista financeiro e por não serem tão fáceis de encontrar. Isso ocorre porque os custos de produção e transporte tendem a ser maiores. A tendência é que, com aumento da demanda e inovações tecnológicas, esses custos baixem e os produtos orgânicos se tornem mais rotineiros no dia a dia da população.

Quem está antenado em relação à saúde sabe que são alimentos seguros, nutritivos e saborosos. Assim como você, a Liv Up preza pela qualidade do que vai ao prato, fabricando seus produtos usando o máximo de matéria-prima orgânica possível. Conferindo todas as vantagens, fica clara a vantagem em apostar numa alimentação mais natural e livre de aditivos químicos. Afinal, é mais inteligente investir numa boa saúde a longo prazo do que precisar tratá-la, certo?

E você, já conferiu nosso cardápio?

You Might Also Like

Scroll Up