Mudando sua alimentação

Vinho: será que faz bem mesmo?

junho 21, 2019

Você já ouviu falar que “uma taça de vinho por dia faz bem”, não é? Essa recomendação faz parte do senso popular há algum tempo. Por isso, muita gente acaba adquirindo o hábito de consumir essa bebida fermentada sem ao menos saber se isso é verdade, ou quais benefícios ela pode oferecer.

Se você veio até aqui pra conferir se vale a pena comprar algumas garrafas, fez bem. Vamos falar justamente sobre os efeitos do vinho para a saúde e seu consumo ideal. Então segure o brinde e continue a leitura!

Vinho e saúde: que relação eles têm?

O vinho é uma bebida milenar e sempre esteve ligado a celebrações. Nas mais diversas culturas, é protagonista de momentos de relaxamento, alegria e bem-estar, inclusive por ser uma bebida muito saborosa. Mas, além de deliciosa, ela realmente faz bem para a saúde – para a nossa alegria! Veja agora 5 dos principais benefícios que ela oferece ao nosso corpo.

1. Combate ao cansaço

Você sabia que o vinho pode entrar no rol de alimentos energéticos, e daqueles que contribuem com o bem-estar? Segundo um estudo realizado pelo The Faseb Journal, o resveratrol é um grande aliado no combate ao cansaço. E olha só: esse é um dos fitonutrientes presentes na casca da uva!

Aliás, por causa dessa propriedade, existem remédios manipulados aos montes com a substância. Mas o consumo diário – e moderado – do vinho dá conta da ingestão ideal do composto. Quem diria, hein?

2. Controle do colesterol

O resveratrol também auxilia no controle do colesterol alto. É o que diz o Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício. Em um artigo publicado em 2007, consta que:

“Do ponto de vista científico, o resveratrol diminui as concentrações de lipídeos no soro sanguíneo e a agregação plaquetária, aumenta o colesterol HDL, que ajuda a remover o colesterol LDL do sangue e prevenir a obstrução das artérias” (p. 64)

Ou seja: a substância diminui a quantidade de gorduras do sangue e eleva a concentração do “colesterol bom”, o HDL, equilibrando a presença do “colesterol ruim” (LDL) no organismo.

3. Prevenção de problemas cardiovasculares

Até mesmo por ajudar no controle do colesterol, o vinho pode prevenir problemas no coração e na circulação. No mesmo estudo que a gente citou anteriormente, ele é classificado como um dos alimentos “protetores dos problemas cardiovasculares”. Esse título é dividido com a aveia, o alho e o tomate, entre outros.

A propósito, esse é um dos benefícios do vinho mais destacados entre a comunidade científica. O artigo da farmacêutica Neidi Penna e da nutricionista Luísa Hecktheuer, com uma revisão das principais publicações feitas a esse respeito, mostra, por exemplo, que as substâncias fenólicas do vinho podem inibir a formação de coágulos.

4. Auxílio no combate a diabetes

A gente encontrou uma pesquisa interessante, publicada no jornal acadêmico Diabetologia, que traz dados reveladores. Segundo o estudo, beber um pouco de vinho todos os dias é especialmente eficaz na redução de diabetes tipo 2.

O estudo não conseguiu determinar com exatidão quais compostos da bebida estão relacionados ao resultado. No entanto, o que se acredita é que os fitonutrientes da uva contribuem para a regulação de componentes metabólicos. Assim, o distúrbio é naturalmente combatido.

Além disso, outra pesquisa feita pela Universidade Bem-Urion, de Israel, reforçou esses resultados. Nesse trabalho, mais de 200 pacientes com diabetes foram acompanhados. Um grupo ingeriu pequenas doses de vinho diariamente e adotou a dieta mediterrânea, rica em diversos outros nutrientes.

O resultado é que esse grupo apresentou melhora do sono e do metabolismo. Fora que, no longo prazo, esses pacientes passaram por exames que constataram outros vários avanços.

5. Prevenção do risco de demência e Mal de Alzheimer

Pra terminar, um dos benefícios do vinho que mais tem chamado atenção é a prevenção da demência e de outros problemas mentais degenerativos, como o Mal de Alzheimer. E uma das instituições que aponta esse fato é a Universidade de Harvard, que mencionou alguns hábitos que podem ser vantajosos nesse sentido em um dos seus estudos.

A chave está no tripé “dormir bem, praticar exercícios e beber vinho”. É isso mesmo! A pista veio de uma investigação com idosos que consumiam a dieta mediterrânea e bebiam vinho com frequência. A saúde mental do grupo era bastante superior ao esperado para a idade. Mas é importante mencionar que só o vinho não faz milagre: a alimentação sempre faz toda a diferença.

Todos os tipos de vinho são aliados da saúde?

Não são todos os fermentados de uva que fazem bem. Isso depende da quantidade de proantocianidinas e de resveratrol na bebida. Esses compostos químicos são os grandes responsáveis pelos benefícios do vinho, mas seu teor varia entre as espécies de uva e os processos de fermentação.

Ah, vale comentar que as cascas e as sementes da uva são essenciais: esses elementos é que guardam a maioria dos antioxidantes e outros compostos positivos. Por isso, fermentações feitas sem elas não têm os mesmos resultados.

Vinho branco versus tinto

No processo de fabricação do vinho branco, a polpa da uva é separada das cascas e das sementes. Isso diminui consideravelmente a quantidade de resveratrol no produto. Já no vinho tinto há um aproveitamento melhor da fruta. Desse modo, a concentração dos nutrientes benéficos é maior.

Vinho seco versus suave

O vinho suave recebe altas quantidades de glicose em comparação ao seco. Por isso, o excesso de açúcar pode anular os benefícios do vinho se colocarmos na balança seus efeitos negativos. Então, quanto menos adocicado, melhor.

E quanto é o consumo ideal?

Agora, a pergunta que não quer calar: o certo é tomar uma taça por dia? Bem, precisamos lembrar que o vinho, mesmo tendo compostos químicos importantes, é uma bebida alcoólica. Por isso, todo cuidado é pouco.

Se for consumir a bebida diariamente, tente não ultrapassar 100 ml (meia taça). E lembre-se de que essa não é uma receita milagrosa – uma observação que a gente já fez, mas não custa repetir. Ou seja, de nada adianta beber vinho todos os dias, confiando nos seus benefícios, e dispensar a alimentação saudável e a prática regular de atividades físicas.

Pra concluir, a gente ainda reforça: os benefícios do vinho existem, sim, mas seu consumo deve ser moderado pra que os efeitos negativos do álcool não anulem as vantagens da bebida. E não se esqueça de combinar esse costume com um estilo de vida mais saudável.

Agora que você já pode brindar à saúde, que tal ficar por dentro de outras dicas legais pra se cuidar? É fácil: basta assinar nossa newsletter, no canto direito da home do blog. Tim tim!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up