Mudando o mundo

Você já ouviu falar em consumo consciente? Entenda essa ideia!

outubro 17, 2018
Praticar o consumo consciente é incentivar um basta ao desperdício e à utilização desenfreada de recursos do planeta. Para isso, algumas transformações de hábitos de nosso cotidiano são necessárias e capazes de contribuir também a favor de um estilo de vida mais saudável.
Criado em 2009 pelo Ministério do Meio Ambiente, o Dia do Consumo Consciente é celebrado em 15 de outubro. A data remete ao fato de que somos todos responsáveis pela preservação da Terra, desde nossas escolhas alimentares aos hábitos de compras.
Para entender melhor como você pode consumir com mais consciência e transformar seu dia a dia, continue a ler o post!

Execute o consumo consciente

A humanidade consome hoje aproximadamente 30% mais recursos naturais do que aqueles que a Terra é capaz de renovar, segundo o Ministério do Meio Ambiente.
Praticar o consumo conscientemente é se pautar pelos valores de redução, reutilização e reciclagem. É fundamental entender, além disso, que suas ações têm impacto sobre a natureza, a economia e as relações sociais.
Com pequenas mudanças na hora de planejar suas refeições, fazer compras e descartar todo o lixo que produz, é possível operar transformações em sua casa, ambiente de trabalho, local de estudos e nas comunidades de que faz parte.

Evite o desperdício de alimentos

Um dos aspectos que mais impactam o consumo exagerado é relacionado aos alimentos. Muito daquilo que se produz, hoje, é perdido durante o transporte, nos locais de vendas e nas casas dos consumidores, que compram mais do que precisam e são levados a descartar comida.
Para melhorar esses hábitos, faça sempre listas para ir ao supermercado e calcule as quantidades de que precisa durante a semana, por exemplo. Se não conseguir cozinhar sua comida, opte por refeições congeladas, individuais, que poderão ser consumidas após maior período de tempo sem que os alimentos sejam jogados fora.

Planeje suas refeições

Uma boa alternativa para se organizar é fazer um planejamento das refeições da semana. Vale investir em comida de verdade, com menos embalagens industrializadas cujo destino seja gerar mais lixo. Outra dica é comprar de produtores locais e não escolher somente frutas e legumes por conta de sua aparência, evitando a perda.

Compre alimentos com consciência

Evite ir ao supermercado com fome, assim você adquire menos itens desnecessários. Uma postura responsável também envolve avaliar a procedência do que for comprar e pesquisar sobre as marcas em que confia. Desta forma, é possível conhecer os impactos causados por elas na natureza.
Em vez de optar por embalagens com maior peso e promoções do tipo “compre um leve dois”, pesquise e adquira alimentos a granel, de modo que possa calcular quanto precisa de cada um para sua rotina alimentar. É uma ideia que funciona bem na hora de selecionar lanches saudáveis.

Transforme hábitos alimentares

Fez seu almoço com uma marmita congelada saudável e uma salada básica da qual sobraram folhas? Que tal utilizá-las e acrescentar alguns legumes para uma refeição reformulada no jantar?
Você pode usar cascas e restos de alimentos para fazer novas receitas e investir em comidas cheias de fibras, especialmente se consumir mais produtos orgânicos.

Avalie o consumo de roupas e objetos

Antes de comprar uma nova peça de roupa, pense bem se você realmente precisa dela. Já parou para avaliar quanto tecido é utilizado para confeccionar diferentes itens a cada nova estação?
Em vez de comprar grandes quantidades de peças com durabilidade inferior, escolha materiais de qualidade e sustentáveis, feitos para serem usados durante períodos maiores. Se enjoar da aparência delas, é possível confeccioná-las, cortá-las, modificá-las ou somente fazer novas combinações com outros objetos.
Nos casos de outros itens de uso pessoal que acumulamos, pense em como reciclá-los e reutilizá-los em seu dia a dia. Se não encontrar uma forma viável, experimente trocá-los ou doá-los.

Descarte corretamente diferentes tipos de materiais

As lixeiras recicláveis não têm cores diferentes à toa. Muito pelo contrário. A variação cromática é feita para contribuir a favor da coleta seletiva e segue um padrão acompanhado de lembretes em texto, caso se esqueça do que cada uma recolhe.
Amarelo serve para metal em geral; azul é papel; branco, resíduos hospitalares e ambulatoriais; cinza, resíduos não recicláveis; laranja, lixo de procedência perigosa; marrom, orgânicos; preto para madeira; roxo a tudo que tiver radioatividade; verde, vidro; vermelho, plástico.

Reduza o consumo de água

A água é um recurso imprescindível para nossa sobrevivência e hábitos de vida, mas frequentemente é utilizado com irresponsabilidade. Para cozinhar, por exemplo, experimente usar a mesma porção para diferentes alimentos. Se sobrar água do cozimento dos legumes, use-a para a panela do arroz.
Em se tratando da higiene pessoal, o cuidado é igualmente relevante. Busque desligar o chuveiro enquanto estiver se ensaboando e fechar a torneira ao escovar os dentes. Evite, além disso, tomar banhos demorados ou em quantidades desnecessárias. Lembre-se sempre do impacto de suas ações.

Atente para o consumo de energia

Consumir menos energia é colaborar a favor do planeta, além de ser uma forma de economizar em sua conta de luz. Você pode colocar a técnica em prática ao evitar deixar aparelhos em modo stand-by.
Na cozinha, a dica é evitar que a geladeira e o congelador fiquem próximos ao sol, já que o calor faz com que tenham maior consumo energético para promover o resfriamento da comida.
Verifique também se eletrodomésticos adquiridos têm o Selo Procel, responsável por indicar os aparelhos que gastam menos eletricidade. A iniciativa pertence ao Programa Nacional de Conservação de Energia, do Ministério de Minas e Energia, ao lado do Inmetro.

Repense a aquisição de aparelhos eletrônicos

Está ansioso para comprar o novo modelo de um celular que adora? Pense bem se a troca é de fato necessária. Muitas vezes, vale mais a pena consertar o aparelho que possui antes de descartá-lo ou substituí-lo por outro.
Caso avalie o consumo como realmente necessário, descarte o objeto antigo da forma correta ou presenteie alguém que pode querer utilizá-lo.

Empreste e troque mais

A falta de prática de consumo consciente frequentemente nos leva a apenas querer compras mais. Há outras formas, entretanto, de ter contato com novos objetos e itens de uso pessoal que desejamos ou dos quais precisamos temporariamente.
Converse com amigos, familiares e colegas de trabalho e procurem emprestar e trocar entre si. De livros a ferramentas e equipamentos para consertos, por exemplo, tudo pode ser trocado em um círculo de confiança e reutilização. Às vezes, só falta dar o primeiro passo.
O consumo consciente, enfim, pode parecer desafiador ao início, mas é capaz de beneficiar todos os envolvidos e transformar hábitos de vida. Seja na alimentação, no descarte ou na forma de realizar suas compras, pense bem e se arrisque a realizar mudanças, por você e pelo planeta.
Tem alguma experiência positiva para compartilhar? Então deixe seu comentário aqui no post!
 

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up